vialgarve                   
vialgarve                                Nuno Miguel Lopes Gaspar da Silva
Navigation Map
e-mail vialgarve

webmaster JNN
Ser Presidente de Câmara…

É ser responsável pela autarquia, o garante dos interesses de todos nós e da nossa terra.
É encontrar soluções para os nossos problemas, partindo do pressuposto, que só com muito trabalho conseguirá chegar a este desiderato.
É despir, frequentemente, a sua camisola partidária para poder dar razão, quando não a tem, a outros partidos, associações ou grupos de cidadãos.
É sentir o concelho. Apaixonadamente. E já agora, ter a inteligência de tornar essa paixão, naquilo que há de mais bonito, ou seja, uma dedicação sem fim e sem interesses pessoais/materiais.
É abraçar o futuro. Sem dúvida. Mas, abraçar o dia de amanhã, obriga-nos a agarrar o presente. Não há causas para vencer amanhã. Há causas que têm de ser vencidas hoje para consolidar no futuro.
É ser arrojado. Descaradamente arrojado. O futuro decide-se com ideias e projectos, que podendo ser hoje algo excêntricos, têm toda a utilidade amanhã porque o mundo e a sociedade evoluem. Qualquer presidente que governe apenas segundo as necessidades do presente chegará sempre atrasado ao futuro.
É não ter medo de decidir. Embora não possa agradar a todos, deve enfrentar, com determinação, todos os problemas com que se depara todos os dias, optando pela decisão em detrimento da indefinição.
É ser firme. Rigorosamente firme na acção e na decisão.
É ser racional. Indiscutivelmente racional para poder tomar as decisões, por vezes difíceis, que influenciam o bem-estar de todos os munícipes.
É ser líder, com capacidade de influenciar os outros (num sentido positivo como é óbvio), com mestria para coordenar uma equipa e ganhar a sua confiança.
É ser trabalhador, rentabilizando o seu trabalho na câmara, para que possa estar junto dos munícipes quando estes necessitam da sua presença.
É ser sério. Exageradamente sério.
É ser humilde, porque na humildade, entre outros valores, encontrará sempre um princípio de vida para a sua conduta pessoal.
É não desculpar-se assiduamente com os outros. É feio e revela uma profunda má educação ética e política.
É não ter a pretensão de ser santo nem pecador. É ser, por isso e também, o garante de um conjunto de valores morais que signifiquem algo para os outros e que, sobretudo, não envergonhem nem ponha em causa a sua figura e o que representa.

Admitamos que não é fácil ser presidente. Mas, sê-lo, é assumir de uma forma inequívoca este conjunto de premissas, salvaguardando o exercício e propriedade de outras, que possam ser também necessárias para o correcto desempenho da função.

Não basta ser um tipo porreiro. Quem não pode, não deve ser presidente de uma autarquia, porque o que se lhe exige vai muito além disso.

Entendo, por uma questão de rigor e de direito cívico de cada eleitor/munícipe, que não devemos confinar o nosso juízo sobre o comportamento do "nosso" Presidente de Câmara apenas a um acto eleitoral que só se realiza de quatro em quatro anos.

Se concorda com isto, não será tempo de fazer uma avaliação ao desempenho do "seu" presidente?

Nuno Silva
Técnico de Recursos Humanos
Jornal Barlavento 29.01.2004

Jornal Barlavento

Comente este artigo

Comentários por HaloScan.com
Tiago Torégão João Nuno Neves Pedro Miguel Ortet Jorge Lami Leal Jorge Moedas Carlos Baía Lara Ferreira Hugo Leonardo Nuno Silva Alexandra Paradinha Paula Rios Pedro Gonçalves Miguel Antunes José Leiria André Botelheiro André Ramos António Ramos Marco Rodrigues Outros