logo NOVA ALTERNATIVA por Ricardo Baptista

Como implementar um turismo ambiental - Receita III e últimas recomendações

Apenas a importância que atribuo a implementar um turismo sustentável justifica a forma ligeira como tenho apresentado os principais passos a tomar na implementação de sistemas de gestão ambiental. Hoje termino esta descrição esperando que tenha ajudado a clarificar o que implicam estes processos.

Continuando...

Agora que já preparou os seus manuais e procedimentos pegue neles e em todos os seus colaboradores e juntamente com consultor leve tudo ao forno da formação. Nesta fase o objectivo é homogeneizar o conhecimento, é fundamental que cada um dos colaboradores conheça as os procedimentos que deve cumprir na execução de tarefas que possam influenciar o desempenho ambiental da empresa.

Depois de umas horas de formação tire o seu sistema do forno e deixe repousar para que tudo assente no seu sitio. Decore e corrija falhas com o chantilli das auditorias e leve à administração para a prova. Nesta fase, chamada revisão pela direcção, a gestão de topo deve avaliar o sistema implementado e verificar se este está de acordo com a política e objectivos definidos.

A gestão de topo deve então decidir se pretende ou não certificar o seu Sistema de Gestão Ambiental. Caso decida certificar a sua "receita" deve contactar uma empresa certificadora acreditada pelo IPQ - Instituto Português da Qualidade, a qual enviará alguns "gourmets" para provar a sua receita. Após cuidada avaliação, e caso de facto o mereça, os "gourmets emitirão um certificado de conformidade.

Últimas recomendações: o processo de implementação e certificação de sistemas de gestão ambiental é um processo trabalhoso, algo complexo e com custos associados, principalmente na fase de implementação, pelo que exige compromisso e dedicação. Assim, não vale a pena embarcar neste processo por piada, para seguir a moda ou para "ganhar uma bandeira", já que apenas levado seriamente produz os resultados positivos para a empresa que temos defendido: melhor organização, melhor desempenho ambiental, redução de custos operacionais e vantagem competitiva.

Bons proveitos...

Jorge Moedas
Engenheiro do Ambiente
Jornal "Região-Sul" 02.04.2003

 

Jornal 'Região Sul'

Comentar este artigo           Imprimir Imprimir

Voltar à Página de Jorge Moedas