logo ALTERNATIVA por Ricardo Baptista

Câmaras Algarvias na Internet

Nos tempos que correm a Sociedade de Informação tem vindo a aumentar a sua importância, sendo mesmo uma prioridade importante para o actual Governo.

Então, resolvemos analisar como estão os sítios (sites para os mais familiarizados com a palavra inglesa) das nossas Câmaras Municipais, uma vez que se trata actualmente de uma questão importante, pois o munícipe e/ou o turista cada vez mais procuram nas moradas virtuais dos municípios informação diversa que os possa ajudar, desde a minuta até a fotografias de praias, passando pela enumeração de monumentos e outros sítios a visitar.

Os sítios das Câmaras Municipais Algarvias estão razoáveis, muito ainda pode ser feito para os melhorar. Dos 16 municípios, três não têm sítio disponível: um não existe mesmo (Lagoa), o segundo parece que foi abaixo, pois não funciona (Monchique) e o terceiro encontra-se em reestruturação (Lagos).

Restam treze sítios de Câmaras Municipais.

Sendo o Algarve uma região predominantemente turística seria de esperar que os sítios das Câmaras Municipais estivessem em várias línguas. Puro engano! Apenas duas têm versão em estrangeiras: Albufeira (Inglês e Alemão) e Faro (Inglês). Nos restantes onze sítios da Câmaras Municipais temos apenas a versão em Português e… já não é mau. O turista que aprenda português ou vá a outro sítio!

Passemos ao design dos sítios. Alcoutim e Silves têm os sítios menos atractivos, com design bastante antiquado. Os melhores são os de Albufeira, Aljezur, Castro Marim, Faro, Loulé, Portimão, S. Brás e Tavira. Olhão, Vila do Bispo e VRSA estão a meio caminho.

No que concerne à informação colocada nos sítios o panorama é deveras positivo, tendo a maior parte informação de boa qualidade, englobando não só a autarquia, mas o próprio concelho. Os que dispõem de menos informação são os de Alcoutim, S. Brás (parte do concelho em construção) e Silves. Os que apresentam melhor informação são os de Albufeira, Aljezur, Faro, Loulé, Olhão, Portimão, Tavira, Vila do Bispo e VRSA. Ao nível intermédio temos Castro Marim.

Outra função importante dos sítios das Câmaras Municipais é facilitar a vida aos munícipes, disponibilizando regulamentos, minutas e outros documentos/informações úteis para o relacionamento entre a autarquia e os munícipes.
Infelizmente, muitos sítios não têm esta preocupação ou têm-na de forma incipiente.
Alcoutim, S. Brás, Silves e VRSA não dispõem de utilidades para os seus munícipes e Aljezur e Castro Marim dispõem de poucas. As câmaras que já apostaram em ter um sítio que ajude o relacionamento com o munícipe são Albufeira, Faro, Loulé, Olhão, Portimão, Tavira e Vila do Bispo.

Refira-se ainda o facto de alguns sítios terem áreas em construção ou que não funcionam, o que acontece nos sítios de Faro, S. Brás, Vila do Bispo e VRSA.

Em resumo, três municípios não têm sítio na Internet, o que representa cerca de 19% da região. Dos restantes treze, dois destacam-se claramente pela negativa: Alcoutim e Silves. Permanecem onze sítios, que dividiremos em três categorias: os excelentes, os bons e os médios. Nos excelentes temos à cabeça Albufeira, seguido de Faro, Loulé, Portimão e Tavira. Passando aos bons escolhemos Aljezur e Olhão. No que concerne aos médios perfilam-se Castro Marim, S. Brás, Vila do Bispo e VRSA.

Albufeira tem, sem dúvida, o melhor sítio de todas as Câmaras Municipais algarvias. Ao invés Lagoa, Lagos e Monchique não existem na Internet, situação que deverão rever brevemente. Alcoutim e Silves têm uma presença fraca, com sítios muito "artesanais" e com pouco conteúdo.

No desenvolvimento da estratégia de Governo Electrónico, na Prioridade 6.2, pretende-se a Modernização da Administração Pública Local, nomeadamente:
  • Modernização Administrativa das Autarquias;
  • Cultura de Qualidade no Modelo de Gestão Autárquica;
  • Desenvolver competências dos funcionários públicos municipais na área da Sociedade da Informação;
  • Desenvolver competências dos munícipes na área da Sociedade da Informação.

    Algum caminho já foi percorrido. Falta arregaçar as mangas e fazer o resto da caminhada…

    João Nuno C. Arroja Neves
    Economista
    Jornal do Algarve 28.08.2003

     

    Jornal do Algarve

    Comentar este artigo           Imprimir Imprimir

    Voltar à Página de João Nuno C. Arroja Neves