vialgarve                   
vialgarve                                    João Nuno Neves
Navigation Map
e-mail vialgarve

webmaster JNN
Optimismo para 2004

Chega de pessimismo! Começou novo ano e devemos entrar nele com pensamento positivo, com esperança que o futuro vai ser melhor e que a recuperação da economia já é uma evidência.

Os principais indicadores já bateram o fundo e já estamos numa situação de melhoria. Tudo aponta para que 2004 seja um ano melhor, com a actividade economia a recuperar, o desemprego a diminuir ou a crescer pouco, ou seja, com a nossa vida a melhorar.

Primeiro, a situação actual não é tão negra como se pinta. Por exemplo, em termos de desemprego registado na Região do Algarve, apenas 4 anos nos últimos 11 foram melhores do que 2003. O indicador de confiança dos consumidores no Algarve (INE) apresenta melhorias desde Maio/2003. Ainda segundo o INE, as famílias algarvias têm perspectivas positivas sobre a evolução do desemprego nos próximos 12 meses. São alguns indicadores que mostram que a expectativa de um melhor 2004 se baseia em indicadores reais.

Em termos nacionais a situação é idêntica. Os indicadores de clima económico e de actividade económica (INE) apresentam evoluções positivas em 2003, estando o segundo indicador em crescimento e ao nível do que estava no final de 2001/início de 2002. O investimento apresentou melhoras no terceiro trimestre de 2003. Também aqui se pode augurar um melhor 2004.

Uma questão importante prende-se com a inversão de ciclo em muitos indicadores. Apesar de estarem ainda negativos, esta inversão de ciclo é deveras importante, pois significa a alteração de tendência e abre novas perspectivas de melhorias futuras.

E no ano do Europeu 2004, quando o País estará em festa e a ser falado em todo o mundo, é normal que a economia ganhe algum alento e melhore o seu desempenho. E que o Algarve também aproveite, nomeadamente na restauração e hotelaria, se bem que outras actividades serão certamente beneficiadas, dada a realização de quatro jogos no Estádio do Algarve, com tudo o que isso implica em termos de adeptos que acompanham as suas equipas e que têm que comer, dormir, deverão fazer compras, etc. E a imagem da região será difundida por esse mundo fora, com todo o retorno que isso poderá trazer em termos futuros.

E voltando um pouco atrás, o optimismo dos consumidores e o clima económico favorável são factores-chave para um melhor ano. Se os consumidores acreditam que o futuro vai melhorar poderão sair da defensiva e voltar a um padrão de vida mais normal, influenciado diversos sectores da economia. E se o clima económico melhora significa que o tecido empresarial pensa que melhores dias vêm ai, com tudo o que isto implica de investimentos e de criação de emprego.

Por fim, o discurso deve mudar. Governo e partidos da oposição deverão contribuir para que o clima de melhoria efectivamente se verifique, salientando mais os aspectos positivos do nosso País, em vez de procurarem situações negativas. A confiança também começa aí. E os partidos poderão ter uma influência psicológica positiva sobre a economia, desde que o discurso negro de alguns se suavize. E nunca se viu um partido com discurso pessimista, só falando de coisas negativas, pintando sempre o pior dos cenários, conseguisse ser atractivo para o eleitorado e ganhasse eleições.

Ser optimista, desde que com os pés bem assentes na terra, é bom. Pensar positivo é benéfico. Conseguir dizer que existem coisas boas é sinal de inteligência.

Não queremos líderes derrotados, cabisbaixos, vencidos. O governo não tem que dizer que tudo vai bem, mas a oposição não tem que afirmar que tudo vai mal e com tendência para piorar. É a velha questão do copo de água a meio. Uns dirão que está meio cheio, outros dirão meio vazio. Eu prefiro o tipo do copo cheio…

João Nuno C. Arroja Neves
Economista
Magazine do Algarve - Janeiro de 2004

Magazine do Algarve

Comente este artigo

Comentários por HaloScan.com
Tiago Torégão João Nuno Neves Pedro Miguel Ortet Jorge Lami Leal Jorge Moedas Carlos Baía Lara Ferreira Hugo Leonardo Nuno Silva Alexandra Paradinha Paula Rios Pedro Gonçalves Miguel Antunes José Leiria André Botelheiro André Ramos António Ramos Marco Rodrigues Outros