vialgarve                   
alternativa                              João Nuno Neves
Navigation Map
e-mail vialgarve

webmaster JNNN
Trânsito no "Faroeste"!

Circular de carro em Faro é terrível. Nos últimos anos (5 ou 6) o trânsito tem vindo a piorar de forma exponencial.

As horas de ponta aumentam. A espera cresce. A irritação aparece. As filas são enormes. São minutos perdidos. Horas desperdiçadas. Um tempo inútil de que os cidadãos são obrigados a abdicar.

O planeamento existe. Infelizmente, os projectos quando aparecem só servem para resolver os problemas do passado, sem dar resposta, sequer, aos do presente, para já não falar dos do futuro. A visão de futuro não existe. Gere-se o caos diário. A bagunça continua confortavelmente instalada.

Permitem-se que grandes superfícies abram à entrada da cidade, vindo congestionar de forma brutal o trânsito, o que obrigou a intervenção da Policia durante alguns meses para tornar o trânsito minimamente caótico. E meses (anos?) depois é que as infra-estruturas rodoviárias aparecem, como é o caso da ligação do Aeroporto à estrada de Olhão, que ainda só chega à estrada de ... S. Brás! O problema existe, deixa-se agravar e a cura aparece quando o paciente está à beira da morte.... O novo Teatro também tem a localização ideal para ajudar ao caos. O mini-bus é uma boa ideia. Era importante que o comum cidadão se habituasse ao transporte colectivo e deixasse o carro em casa. É bom que o projecto continue para ver se este novo hábito se enraíza nos Farenses.

O estacionamento tem-se tornado escasso. O Largo da Feira, que há 2 anos raramente enchia, hoje em dia já começa a ser insuficiente. Com os novos parques de estacionamento, pode ser que a oferta passe a ser suficiente. Levanta-se é outra questão: o seu pagamento.

Partindo do pressuposto que o automobilista deve pagar parquímetro, por forma a que desfrute do estacionamento apenas na medida em que efectivamente necessita, porque razão não foi constituída uma Empresa Municipal para gerir este "negócio", tal como foi feito em Lisboa? Será uma actividade muito complexa para ser feita pela Câmara, mas fácil e atractiva para a empresa privada que ficou com a gestão dos parquímetros? Não seria mais rentável a Câmara explorar directamente os parquímetros, contratando meia dúzia de pessoas, do que dar esta lotaria a uma empresa privada? E já agora, se o cidadão paga para estacionar, porque razão não tem direito a vigilância policial? E porque carga de água tem que levar a seguir com os "moedinhas", vulgos arrumadores, em cima, e pagar duas vezes, caso não queira arriscar o seu carrinho? Alguém tem que resolver a questão dos arrumadores: ou é uma questão de policia ou é uma questão de reinserção social, certamente não é uma questão de somenos e para deixar andar, como tem acontecido desde que esta nova "profissão???" se instalou na capital Algarvia.

Em Faro, está-se a criar a ideia de que, em matéria de trânsito, tudo se pode fazer. Não há limites. Estaciona-se em dupla fila com lugares ao lado. Trancam-se carros para ir "só ali". O mal é que este tipo de atitude está-se a tornar vulgar, o culto do facilitismo está instalado. É o chamado "laisser faire, laisser passer". E a policia actua muito pouco. E podia ter dois tipos de atitudes: uma mais pedagógica, explicando às pessoas o que não podiam fazer e em caso de abuso punir, e outra punitiva, aplicando multas às infracções mais graves (entendendo por infracção grave a infracção que prejudica outrém), pois se fossem multar cada carro mal estacionado teriam que levar toda a zona do Conservatório em hora de ponta, Rua da Escola de S. Luís, Rua Ataide de Oliveira e Rua do Alportel, só para dar alguns exemplos. Esta pouca actuação deve-se, possivelmente, a indicações superiores, pois as infracções são evidentes. E como não se vê nenhum tipo de atitude, os abusos acontecem, o sentimento de impunidade aumenta e ... o caos aumenta.

Já agora uma curiosidade: agora as multas podem-se pagar no multibanco, entre o 10º e 20º dia após a infracção. Tendo sido multado, por um policia outrora famoso pelo furor com que rebocava os prevaricadores, (devo ser uma espécie rara!), optei por pagar pelo multibanco. Após ter inserido todos os dados correctamente, por 3 vezes para não haver enganos!, apareceu sempre a mesma mensagem "Não foi possível processar o seu pedido. Montante incorrecto". E é assim. Tanta tecnologia e facilidade na teoria, para na prática ter que ir aos correios apanhar uma "séca". Dá Deus nozes a quem não tem dentes....

E pronto. É este o filme onde somos milhares de actores diários. Estreia todos os dias perto de si. Agora em sessão contínua. Venha reviver os tempos dos cowboys no "Trânsito no Faroeste".

João Nuno C. Arroja Neves
Economista
Notícias do Algarve 26.11.2001

Notícias do Algarve

Comente este artigo

Comentários por HaloScan.com
Tiago Torégão João Nuno Neves Pedro Miguel Ortet Jorge Lami Leal Jorge Moedas Carlos Baía Lara Ferreira Hugo Leonardo Nuno Silva Alexandra Paradinha Paula Rios Pedro Gonçalves Miguel Antunes José Leiria André Botelheiro André Ramos António Ramos Marco Rodrigues Outros