logo NOVA ALTERNATIVA por Ricardo Baptista

PS e PCP deixam Farense à beira do colapso

Os votos do PS e do PCP foram suficientes para derrotar a intenção da Câmara Municipal de Faro doar um terreno ao Sporting Clube Farense para ai instalar uma bomba de gasolina (numa área de 4.000 m2) e fazer um parque de estacionamento e outros espaços públicos numa área de 8.000 m2. Um milhão de contos entraria nos cofres do Sporting Clube Farense, para serem repartidos com a SAD, e seria possível começar o saneamento das duas entidades, mantendo um futebol baratinho na II divisão B e sem pressas para subir de escalão.

Apesar da existência de um parecer jurídico que confirmava a legalidade da situação, os deputados municipais do PCP e do PS acabaram por inviabilizar a última hipótese de existir futebol em Faro na próxima época. A sua opção pela política do contra, embrenhando-se em guerrilhas pessoais e esquecendo o que é verdadeiramente importante, Faro e os Farenses, conduziu a este beco sem saída.

Analisem-se agora algumas afirmações de alguns agentes políticos locais, que nunca tiverem capacidade para contribuir para a solução, mas foram mestres em empolar o problema.

Carlos Alberto, Deputado Municipal do PS: "Após a sua tomada de posse, José Vitorino reuniu uma comissão saída da Assembleia Municipal para a resolução do problema do Farense. Passado ano e meio, só hoje [ontem] fui convocado para discutir o problema, quando já não há solução. O único responsável politicamente é Vitorino.", Record, 1 de Julho de 2003.

Afinal sempre houve uma solução, alguns é que trataram de manter e agudizar o problema. E conseguiram-no notavelmente.

Carlos Alberto, Deputado Municipal do PS: (a descida para a II Divisão B ou mesmo para os Distritais seria) "uma afronta a um clube com quase cem anos de existência e o maior emblema do Algarve", Record, 2 de Julho de 2003.

Por acaso o Sr. Carlos Alberto votou a favor da cedência do terreno? Não terá sido a sua atitude uma afronta a Faro e aos Farenses? É assim que se trata o maior emblema do Algarve?

Segundo o Região-Sul de 17 de Julho: "O Secretariado da Federação do PS/Algarve emitiu hoje um comunicado acerca da actual situação do Farense, no qual começa por afirmar que "vivem o Sporting Clube Farense (SCF) e a Farense Futebol, Sociedade Anónima Desportiva (SAD) um dramático momento que pode colocar em cheque um património desportivo centenário, com consequências gravíssimas para o desporto profissional e amador na região algarvia e em particular no concelho de Faro"."

Foi esta a forma que arranjaram para ajudar o património desportivo da região? A atitude que tomaram que consequências teve para o desporto profissional e amador na região algarvia e em particular no concelho de Faro?

Ainda no Região-Sul de 17 de Julho: "O principal visado no comunicado, a quem de certo modo é também atribuída a maior responsabilidade da actual situação do clube, é, no entender do PS/Algarve, o executivo municipal liderado por José Vitorino, já que, "não teve ainda o discernimento ou a coragem de fazer uma proposta sólida que levasse à resolução dos problemas financeiros do SCF e da SAD, e, pior do que isso, tendo por via das posições tomadas, agravado o problema". "

E qual foi a proposta sólida salvadora do PS? Não terá sido a acção do PS que contribuiu para agravar o problema?

Continuando no Região-Sul de 17 de Julho: "Por último os socialistas algarvios apelam "ao bom senso de todos os associados e adeptos do SCF, accionistas da SAD e demais cidadãos de Faro, no sentido de se encontrar a melhor solução para o clube da nossa cidade", apelando ainda à calma de todos os intervenientes, "de forma a que mais esta inqualificável atitude do Sr. Presidente da Câmara Municipal, não ponha em causa o que tantos, por tanto tempo e com tanto esforço construíram"."

Já agora deixem que o cidadão que escreve este artigo apele ao bom senso da oposição Farense "de forma a que mais esta inqualificável atitude da oposição na Câmara Municipal, não ponha em causa o que tantos, por tanto tempo e com tanto esforço construíram".

Os senhores nem sabem como o Dr. José Vitorino ficou feliz com esta vossa desastrada jogada política, nem sonham com o rombo que deram nas vossas expectativas eleitorais próximas.

Quando se vislumbrava uma solução, os Srs. deram-lhe uma machadada de morte. Para já ficamos um ano sem futebol em Faro e não se sabe quando poderá voltar, quer por condicionantes financeiras, quer por penalizações no seio da Federação Portuguesa de Futebol. Refira-se que por a desistência se dar após o sorteio, as penalizações serão acrescidas.

Agora aos Domingos à tarde teremos que ir para o Largo do Pé da Cruz para ver se nos arranjam entretenimento. Qualidade não falta aos artistas…

João Nuno C. Arroja Neves
Economista
Jornal "Região-Sul" 13.08.2003

 

Jornal 'Região Sul'

Comentar este artigo           Imprimir Imprimir

Voltar à Página de João Nuno C. Arroja Neves