vialgarve                   
vialgarve                                Miguel Antunes
Navigation Map
e-mail vialgarve

webmaster JNN
E agora Sr. Presidente?

É inegável que Durão Barroso esteve empenhado no projecto "Portugal", desde que venceu as eleições legislativas de 2002. Também é inegável que as relações internacionais e a diplomacia lhe correm nas "veias".

Este foi o dilema de Durão.

O cargo que vai ocupar é "taylor made", acenta-lhe perfeitamente. Será precisa muita diplomacia para, por exemplo, aproximar os Transatlânticos do eixo Paris-Berlim, e diplomacia é o que não falta a Durão.

É evidente que é uma honra para todos os portugueses, que um cidadão deste país consiga liderar o " governo europeu", ainda mais nesta fase de recém alargamento.

Apesar da isenção, a que o cargo obriga, é claro que a comunicação entre Portugal e a Comissão será mais fácil, teremos então uma constante "linha aberta". É claro também que o respeito por Portugal será maior, principalmente pelos recém-chegados. E esta última questão parece-me muito importante, especialmente no relacionamento económico entre países.

E por cá?

Será que alguém acredita que Durão Barroso aceitaria tal cargo sem antes assegurar a estabilidade politica nacional? O Presidente da Republica sempre soube tudo, ou praticamente tudo, relativamente a esta saída. Não terá garantido taxativamente que não iria dissolver a Assembleia, provavelmente terá relembrado a sua posição aquando da saída de Guterres. Se nessa altura não quis dissolver uma minoria, acham possível que dissolva quando existe maioria? Seria um erro e uma incongruência de atitude, não própria para alguém que ocupa o mais alto cargo político da nação.

O PS que, desde que ganhou as ultimas europeias, entrou numa espiral fratricida (ou suicida, ou as duas em conjunto, é como preferirem), reagiu como se de um qualquer BE ou PCP se trata-se. Demonstrou que ainda não atingiu maturidade política para governar, demonstrou que não lidera a oposição e que têm receio de não seguir os apelos extremistas de bloquistas e comunistas, sob pena de perder eleitorado. Muito mau para quem devia defender valores mais altos do que a simples "revolta popular", alicerçada no mote político de eleições antecipadas, e tão apregoada pelos tais partidos que nada têm a perder.

As reacções dos diversos notáveis socialistas salientam o que de pior existe na cultura portuguesas (logo agora que estávamos a ir tão bem com o Euro).

Querem "ganhar dinheiro sem trabalho e duma forma rápida? Já sei… Totoloto!" e por outro lado " se eu tenho um Fiat tu não podes ter um Mercedes".

Deixo então as figuras de retórica: ânsia incontrolável pelo poder sem muito trabalho e inveja, mesmo que isso seja contraproducente para o país.

É minha opinião que Santana Lopes é a 1ª opção, e a mais correcta, para suceder a Durão como Primeiro-Ministro. Cumpre com todos os requisitos do vértice eleitorado/coligação/remodelação. Não tenham dúvidas que Santana vai pretender legitimar esta passagem de testemunho, junto do país e junto do partido, não agora mas o mais brevemente possível.

Para terminar gostaria de colocar algumas questões, decorrentes de todas as análises que se têm feito à volta deste assunto?

1- Será que Marques Mendes e Manuela Ferreira Leite foram ao último congresso do PSD, ou estariam apenas desatentos quando Durão Barroso divulgou a lista à Comissão Politica Nacional?
2- Será que Marcelo Rebelo de Sousa ainda não percebeu que é muito inteligente, e que essa inteligência, por ser tão superior, não é perceptível pela generalidade da população?
3- Será que a politica governativa de Durão Barroso foi assim tão má, como quiseram pintar, para neste momento toda a oposição lamentar a sua saída?
4- Será que o seguimento da linha governativa, tão importante neste momento para todos, não será mais óbvio com Santana Lopes do que com qualquer eventual governo Socialista coligado com a extrema-esquerda?
5- Será que o Presidente da República não terá a mesma actuação com PS e PSD?
6- Será que não ficou suficientemente claro que o cargo que Durão Barroso vai ocupar é prestigiante para Portugal, apesar da opinião manifestada pelo Sr. Presidente da Republica?
7- Será possível que Durão cometesse tal leviandade, ao aceitar este cargo sem garantir a estabilidade do país, ou terá sido deliberadamente enganado?
8- Será que todo este "burburinho" à volta de Santana Lopes não fará dele uma vítima? 9- Será que essa vitimização não será uma "arma arrasadora", capaz de garantir uma vitória retumbante em eleições legislativas?
10- Será que se Ferro Rodrigues ganhar as eleições legislativas em Outubro, em Novembro ganhará o Congresso do seu partido?
11- Será que se não ganhar o Congresso teremos, novamente eleições?
12- Será que este país cresceu democraticamente ou ainda estaremos no tempo das convulsões a que a extrema-esquerda tanto apela?

Miguel Antunes
Director Financeiro
Postal do Algarve 08.07.2004

Postal do Algarve

Comente este artigo

Comentários por HaloScan.com
Tiago Torégão João Nuno Neves Pedro Miguel Ortet Jorge Lami Leal Jorge Moedas Carlos Baía Lara Ferreira Hugo Leonardo Nuno Silva Alexandra Paradinha Paula Rios Pedro Gonçalves Miguel Antunes José Leiria André Botelheiro André Ramos António Ramos Marco Rodrigues Outros