vialgarve                   
vialgarve                                Miguel Antunes
Navigation Map
e-mail vialgarve

webmaster JNN
Europeias

Foi no passado domingo que se votou para eleger os nossos eurodeputados. Muita gente nem se terá dado conta, outros não quiseram pura e simplesmente saber dumas eleições que dizem muito pouco aos cidadãos portugueses.

Esta realidade não diz apenas respeito ao nosso país, por toda a Europa os índices de abstenção foram elevados, mas mais grave e preocupante foram os valores da abstenção nos territórios recém chegados á comunidade europeia. Este desinteresse generalizado prova que os responsáveis europeus não conseguem motivar as populações e que a Europa comunitária está sem objectivos.

O nível de participação, em toda a Europa comunitária, foi ligeiramente superior a 40%, contrastando com os cerca de 60% nas primeiras eleições para este parlamento.

O problema destas coisas é que se fala muito, reflecte-se muito, apenas durante a noite eleitoral, depois o assunto é pura e simplesmente esquecido.

Outra das ilações que podemos tirar dos resultados por essa Europa fora, foi o de que as populações aproveitaram estas eleições para penalizar os seus governos pelas políticas internas que tem vindo a seguir. Foi assim na Alemanha, França, Portugal, entre outros.

Poderemos também afirmar que a questão Iraque não teve, praticamente, peso eleitoral, uma vez que os partidos que suportam governos que não apoiaram essa iniciativa sofreram derrotas espectaculares (França e Alemanha).

Falemos então dos nossos resultados.

O P.S. consegue o que nunca tinha conseguido, por um lado a maior percentagem de sempre deste partido, por outro lado consegue, sozinho, derrotar uma coligação de centro-direita. Confesso que Ferro Rodrigues me têm surpreendido, será caso para dizer que este dirigente ganhou novo fôlego, depois de dois anos bastante difíceis.

O P.S.D. foi o partido que saiu pior destas eleições, elegendo apenas 7 eurodeputados, todos os outros partidos mantiveram ou subiram o numero de eurodeputados, inclusivamente o CDS/PP. O resultado da coligação foi péssimo, demonstrativo de um discurso errado desde o principio da legislatura, o qual mergulhou o país numa depressão colectiva, demonstrativo de que os portugueses estão fartos das caras que Durão Barroso desencanta do baú antigo que guarda desde o tempo de Cavaco Silva, demonstrativo de que os portugueses sabem o que querem e sobretudo o que não querem. Será altura de remodelar ( já há algum tempo o é), mas remodelar com novas figuras, com pessoas que demonstrem ao país vitalidade e capacidade de inovar politicamente. É que a política, quer se queira quer não, é feita por pessoas, e é nesses rostos que a população se revê, são esses rostos que motivam ou desmotivam, são esses rostos que deverão acabar com os 60% de abstenção. Alguém terá duvidas de que se o P.S.D. apresenta-se, por exemplo, Santana Lopes a sufrágio popular o resultado seria outro? Alguém terá duvidas que são com pessoas como Filipe Menezes que o P.S.D. poderá revitalizar e voltar a ganhar?

Estou certo que pelo menos um pequeno núcleo terá duvidas, vamos é ver até quando e a que preço. Aqui pelo Algarve o P.S. consegue praticamente o dobro da votação do PSD e CDS/PP. Acho que o resultado diz tudo, pelo que será demasiado óbvio tecer qualquer comentário.

Miguel Antunes
Director Financeiro
Postal do Algarve 17.06.2004

Postal do Algarve

Comente este artigo

Comentários por HaloScan.com
Tiago Torégão João Nuno Neves Pedro Miguel Ortet Jorge Lami Leal Jorge Moedas Carlos Baía Lara Ferreira Hugo Leonardo Nuno Silva Alexandra Paradinha Paula Rios Pedro Gonçalves Miguel Antunes José Leiria André Botelheiro André Ramos António Ramos Marco Rodrigues Outros