vialgarve                   
vialgarve                                Miguel Antunes
Navigation Map
e-mail vialgarve

webmaster JNN
Imagens e Congresso

Imagens

Durante estas ultimas semanas têm vindo a publico, imagens de militares norte-americanos, a infringirem maus tratos a prisioneiros de guerra iraquianos.

As imagens são chocantes e descredebilizam toda uma nação, que por principio luta contra tais situações. É verdade que o secretário de defesa norte-americano assumiu a responsabilidade (apesar de não se ter demitido), discursou perante o Congresso, e que até o Presidente Bush se penitenciou perante o povo árabe. Também é verdade que só num país que viva em democracia é que os responsáveis políticos têm de dar explicações e que os responsáveis pelos actos em si serão punidos de forma exemplar. Verdade é que maltratar é diferente de decapitar.

No entanto não é mentira que a partir daquelas imagens os EUA ficam fragilizados, no presente e para o futuro, e que será mais difícil democratizar o Iraque.

 

Congresso

Decorreu este fim-de-semana o Congresso Social-Democrata.

Um congresso que foi marcado para esta data, tendo como intuito principal, a pouca discussão de ideias. Tratou-se de um mega comício para a europeias e pouco mais.

Os poucos pontos de verdadeiro interesse político foram "decapitados" pela remodelação no dia anterior e pela intervenção inicial de Durão Barroso.

Quanto á remodelação governamental, apetece-me perguntar porquê aquele ministro e não outros? É um facto que Amilcar Theias era o elo mais fraco e merecia ser destituído, mas e o que dizer do Ministro da Economia que tem pautado a sua actuação, por uma falta de clareza ( leia-se falta de habilidade política ) gritante para com os portugueses ( veja-se o exemplo da GALP e do acordo CTT/PT), a Ministra da Justiça que pura e simplesmente deixa andar o comboio e leva "bastonada" do Bastonário da Ordem dos Advogados que a transformou na " rainha de uma câmara de horrores", o Ministro da Cultura que eu próprio me pergunto se realmente existe ou se é apenas uma miragem. Podia também criticar a própria Ministra das Finanças que se tem revelado uma Ministra do Orçamento exemplar mas uma Ministra das Finanças com nota reduzida, mas não o faço, tendo em conta a situação em que o país se encontrava quando o PS deixou o governo ( estava como habitualmente se encontra á saída do PS, um verdadeiro caos e sob a máxima: "quem vier a seguir que feche a porta").

Por tudo isto, pessoalmente, acho que Durão podia ter ido mais além e trazido um "elan positivista" a estes próximos dois anos, mas por outro lado, á que referir também, o nosso 1º Ministro tem mantido uma coerência assinalável neste aspecto. Esta foi a primeira vez que demitiu alguém, das outras vezes tinham sido os acontecimentos a precipitarem as saídas.

Voltemos ao Congresso e mais concretamente ao discurso de abertura que se centrou essencialmente no seguinte:
Para consumo interno, Durão, pretendeu calar o assunto presidenciais com o eloquente " confiem em mim" e tentou motivar o partido para as eleições que se seguem.

Para o exterior, tentou passar a mensagem de positividade para os anos que se seguem, sem nunca ter deixado de referir como encontrou o país, para além de ter tentado também descredibilizar o PS. Fê-lo através da colagem política deste partido ás ideias e ao discurso de extrema esquerda do BE. E quanto a mim o congresso foi isto e o discurso de Santana Lopes ( brilhante por sinal), nada mais que isto.

Penso que o PSD deveria ter discutido outros assuntos, por exemplo tentar responder á seguinte questão: " Como voltaremos a ser eleitos em 2006 sem retoma económica?". É que eu próprio, defensor da política económica seguida por este governo, mas critico da mensagem excessiva de pessimismo passada por Durão, já tenho as minhas duvidas quanto á capacidade política para fazer essa mensagem desaparecer nestes próximos dois anos.

Miguel Antunes
Director Financeiro
Postal do Algarve 27.05.2004

Postal do Algarve

Comente este artigo

Comentários por HaloScan.com
Tiago Torégão João Nuno Neves Pedro Miguel Ortet Jorge Lami Leal Jorge Moedas Carlos Baía Lara Ferreira Hugo Leonardo Nuno Silva Alexandra Paradinha Paula Rios Pedro Gonçalves Miguel Antunes José Leiria André Botelheiro André Ramos António Ramos Marco Rodrigues Outros